quinta-feira, 8 de julho de 2010

Afogando As Mágoas Na Geladeira!


Meninas, encontrei essa reportagem na revista Corpo a Corpo.

Me identifiquei na hora, pois ontem fiz exatamente isso, descontei na geladeira a minha raiva.

Resolvi postar aqui, pois se tiver alguém, assim como eu, que faz a besteira de descontar na comida algum sentimentos, pode servir esse post.

Solidão, estresse, ansiedade. Não faltam casos de mulheres que encontram na comida a suposta solução para seus problemas emocionais. Mas cuidado! Além de não durar muito, o prazer de comer pode se transformar num outro pesadelo

Um mês antes do Dia dos Namorados, a manicure Valéria Fraga, 30 anos (SP), já estava sofrendo. Para ela, passar pela data, este ano, será uma prova dura. Há pouco ela terminou o namoro de oito meses e está arrasada. "Sei que tomei a decisão certa, pois me sentia sozinha mesmo estando acompanhada. Mas ainda gosto dele", conta. Para superar a solidão e a carência, Valéria desconta as mágoas na comida. "Eu já fazia isso estando com ele, e agora, piorou. Peso 100 kg e tenho 1,64 m. São mais de 40 quilos de gordura que preciso perder",desabafa
Para que isso aconteça, ela precisa interromper o círculo vicioso no qual entrou: solidão, tristeza, comida / ganho de peso, tristeza, solidão. "Eu não sinto fome, mas vontade de comer. É como se tivesse que preencher meu vazio interior com alimento. Agora, quero mudar! Vou me tratar com acupuntura e florais, e entrar na academia. Há muito preconceito contra as gordinhas", relata. Na opinião de Alexandre Bez, psicólogo (SP), "afogar as mágoas na comida é uma fuga. É um mecanismo de compensação, uma defesa do ego contra as emoções negativas. Por isso terapia também é fundamental para reverter esse quadro".

Meu docinho de coco,minha felicidade

A compulsão alimentar é um transtorno. Quem sofre do mal come indiscriminadamente, sem fome, por ansiedade, estresse ou outra emoção negativa. Normalmente, nem mastiga o alimento, e ingere grande quantidade de comida em pouco tempo. "Essas pessoas só param de comer quando estão cansadas ou empanturradas, e depois se sentem culpadas", afirma Valéria Goulart, médica nutróloga (SP).

Normalmente, nem mastiga o alimento, e ingere grande quantidade de comida em pouco tempo. "Essas pessoas só param de comer quando estão cansadas ou empanturradas, e depois se sentem culpadas", afirma Valéria Goulart, médica nutróloga (SP).
Para se livrar do problema, é importante tomar consciência do real motivo pelo qual se está comendo. "É preciso compreender se é por fome física ou se você está procurando algum tipo de recompensa. Se você só pensa em carboidratos e chocolate (que dão sensação de bem-estar e prazer), fique atenta ", aconselha Filippo Pedrinola, endocrinologista (SP). Assim, em vez de chorar pelos cantos e se acabar na caixa de bombons, ânimo! Marque hora no cabeleireiro, na manicure e na massagista
Linda e descansada, duvido que você não encontrará programa melhor que comer vendo tevê! E se a angústia demorar um tiquinho mais pra passar, e você tiver aquela vontade alucinada de comer, use a tristeza a seu favor: opte por frutas termogênicas, que queimam calorias acelerando o metabolismo, como a laranja e o kiwi. Seu corpo agradece!

solteiras ou casadas...sempre há um motivo para comer
"O ciúme dele me deixa ansiosa, então eu como..."Eliane, secretária, 27 anos, solteira.
"Meu namorado tem 38 anos e é muito ciumento. A gente se gosta e sou feliz com ele, mas desconfiar de tudo, me deixa louca. Fico angustiada e nervosa e ataco tudo que aparecer, principalmente chocolate. Na minha casa nunca faltam doces, se não tiver nada, faço um bolo e como inteiro! Não tenho problema de peso (tenho 1,62 m e peso 58 kg), mas já ganhei três quilos." o que diz o especialista: Segundo o psicólogo Alexandre Bez, o chocolate é uma espécie de droga para o cérebro, pois vicia e faz com que a pessoa sempre queira doses maiores. "O exercício físico aeróbico é fundamental nesses casos de ansiedade, pois acalma e também dá a sensação de prazer", recomenda.
"Sou nervosa por natureza e passei a encontrar a paz na comida!"Mônica, 36 anos, casada
"Sou casada há 12 anos e tenho dois filhos. Já faz um tempo que estou acima do peso e meu marido anda reclamando. Ele implica quando levo guloseimas para casa, mas quanto mais ele reclama, mais nervosa eu fico, e mais eu como. Não gosto de doces, mas adoro salgados como coxinha, pastel e pastelão. Eu usava 38 e agora visto 42, perdi muitas roupas, e também a autoestima".
O que diz o especialista:"Quando comemos um alimento rico em açúcar, aumentam os níveis de insulina no sangue, que tem como função reduzir a glicemia. Isso causa o desejo por mais açúcar. A tensão também favorece o vício por doces e dificulta o emagrecimento, pois libera mais cortisol", explica Valéria Goulart.
"Não tenho namorado e sofro com a solidão, ai desconto na comida".Marina Célia Rocha Santos, 21 anos, solteira
"Eu fico muito sozinha e isso é péssimo. Acabo me sentindo triste e deprimida e, nessas horas, o jeito é comer. Eu almoço bem, no lanche da tarde como pizza e, antes do jantar, que tem sempre arroz, feijão e carne, devoro salgadinhos. Ainda compro umas bobagens, pois sempre que passa alguém oferecendo algo na rua, não resisto. Eu engordei muito: tenho 1,60 m e estou pesando 70 kg. Nunca procurei endocrinologista nem nutricionista, mas consegui comprar, sem receita, uma fórmula para emagrecer. Tomei durante bastante tempo e aí perdi peso, mas agora estou recuperando tudo rapidamente!", relata Marina.
O que diz o especialista: Para Filippo Pedrinola, muitas pessoas procuram "ser emagrecidas", e não emagrecer. Ou seja, acreditam que a solução está em uma fórmula milagrosa. "Qualquer remédio, mesmo os ditos naturais, podem causar efeitos colaterais indesejáveis. Só o médico poderá avaliar a necessidade do uso de alguma droga, sua prescrição e acompanhamento", alerta.
"O melhor tratamento para a perda de peso efetiva e duradoura é associar mudanças de comportamento e estilo de vida, o que inclui dieta, exercícios regulares e a busca pelo equilíbrio emocional. Procure sair de casa, caminhar... assim, a tentação pela geladeira será distanciada" Filippo Pedrinola, Endocrinologista (SP)

teste

Você corre o risco de cair nesta armadilha?

1. Que tipo de sensação você tem e qual atitude toma quando briga com alguém (seja namorado, amiga ou parente)?

a. Sinto-me ansiosa, irritada e triste, então procuro comer alguma coisa. Nessas horas devoro salgadinhos, bombons e balas, sem parar.

b. Fico deprimida, choro e procuro fazer alguma coisa que me dê prazer e me acalme, como passear, ouvir uma música ou sair para jantar.

c. Preciso de um tempo para me acalmar, e desabafar com alguém de confiança. Depois, procuro a pessoa para conversar e faço as pazes.
2. Comer, para você, é...

a. Um alívio das minhas tensões; sempre tenho algo à mão para horas difíceis.

b. Uma das minhas principais fontes de prazer. Adoro cozinhar e ir a bons restaurantes quando tenho tempo.

c. Uma necessidade vital que procuro fazer com equilíbrio para não comprometer minha saúde.
3. Quando você costuma comer?

a. Sempre que me sinto nervosa, ansiosa ou triste. Toda hora é hora.

b. Quando sinto fome, mesmo que já tenha comido o suficiente em uma refeição.

c. Tenho hora certa para comer. Faço três refeições balanceadas e pequenos lanches saudáveis.
4. Na sua infância, você ganhava doces como recompensas?

a. Sempre, principalmente se passasse por algum problema, como estar doente, perder um jogo ou ir mal na escola.

b. Somente quando comia toda a comida ou em uma ocasião especial, como Páscoa e Dia das Crianças.

c. Doces eram apenas sobremesas, e não recompensas, para mim. Aprendi a dar a eles o devido valor.
5. Você já sentiu uma necessidade enooorme de ingerir um doce, e só conseguiu melhorar depois de devorá-lo?

a. Somente hoje, eu senti isso umas quatro vezes...

b. Isso sempre acontece quando estou na TPM.

c. Isso é raro; às vezes tenho vontade de comer algo que relembre minha infância.
6. Já foi capaz de esconder comida para não ser criticada pela família e amigos?

a. Faço isso sempre. Às vezes finjo que não quero, mas quando estou sozinha, como em dobro.

b. Tá bom, vou ser sincera. Uma vez ou outra escondo bombons na bolsa, e não como em público para evitar represálias.

c. Isso é ridículo, claro que não. Quando quero, como, e pronto.
7. Já engordou muito em crises de estresse ou de solidão?

a. Desde que nasci eu passo por isso. Se estou nervosa, engordo. Depois, emagreço, e algum tempo mais tarde, volto a engordar. Um pesadelo!

b. Poucas vezes isso aconteceu, mas com dieta e exercícios encontrei o caminho certo.

c. Eu tenho uma alimentação saudável e pratico atividades físicas. Não tenho esse problema.

resultado:

maioria das respostas a:

Você provavelmente está acima do peso por comer compulsivamente e afogar as mágoas na comida. Não encare a alimentação como um sistema de recompensas, mas algo vital para a sua saúde. Procure ajuda de um médico e um psicólogo, para romper o ciclo.

maioria das respostas b:

Parece que você gosta mesmo de comer, mas vá com calma. A boa notícia é que há mais aspectos em sua vida que alimentam sua sensação de prazer. Por isso, invista neles. Fique alerta!

maioria das respostas c:

Tudo indica que você é bem resolvida quanto à questão alimentar, e o melhor é que sempre coloca a saúde em primeiro lugar. Continue assim!

2 comentários:

  1. adorei o post ^^ fiz o teste e deu maioria B... na real só respondi um A e um C... tenho q melhorar bastante hein... xD

    ResponderExcluir